Cases

#SOMOSLIVRES

A campanha #SOMOSLIVRES criou um movimento de conscientização e mobilização pública a respeito de um tema urgente e atual: o trabalho escravo. A lei brasileira estava sob o risco de ser alterada sem nenhum debate público prévio – para evitar que isso acontecesse, seria necessário pressionar os Senadores. A campanha ganhou relevância e adesão espontânea da mídia e de influenciadores, o que ajudou a engajar a população a fazer pressão nos políticos por meio de um hub criado para atingir esse objetivo. O resultado foi uma intervenção na realidade social e política do Brasil, já que a lei ainda não foi alterada.

Desafio

Estima-se que, entre 1995 e 2016, cerca de 50 mil trabalhadores escravos foram libertados no Brasil. A legislação brasileira, uma das mais modernas do mundo nessa área, estava sob o risco de ser enfraquecida se as definições de jornada exaustiva e condições degradantes fossem excluídas do texto da lei.

A Ideal H+K Strategies foi chamada para criar uma campanha de conscientização pública sobre o tema. Essa campanha deveria conscientizar a população sobre o que configura um cenário de condição análoga à escravidão e quais as consequências da mudança na lei brasileira, além de engajar as pessoas a pressionar os políticos a não alterarem a lei. A pressão pública surgida a partir dessa conscientização deveria ser forte o suficiente para fazer com que a lei permanecesse intacta.

 

somoslivres_2

 

Solução

“Qual foi o pior dia de trabalho da sua vida?”. Essa pergunta foi o ponto de partida da campanha, que divulgou informações sobre a legislação brasileira e a atual situação de trabalho escravo no país.

Vídeos com influenciados engajados na causa foram produzidos e postados no site – o ator Wagner Moura, embaixador da Organização Internacional do Trabalho (OIT), foi o porta-voz da campanha. Ele e outros influenciadores gravaram vídeos-depoimentos com a pergunta-tema da campanha. O assunto reverberou na imprensa e nas redes sociais, engajando a população a fazer pressão para que os políticos brasileiros não alterassem a lei.

Para lançar o projeto #SOMOSLIVRES e o hub somoslivre.org, foi organizado um evento e uma coletiva de imprensa, com a participação do Nobel da Paz Kailash Satyrthi, de jornalistas e de pessoas envolvidas com a causa. Um debate ajudou o público presente a entender o conceito de trabalho escravo o impacto da mudança na lei para os trabalhadores.

O hub reunia as informações sobre o tema e abrigava a ferramenta em que a população poderia, em apenas um clique, enviar emails para os senadores brasileiros pressionando contra a mudança na lei.

O disparador de e-mails, também disponível no hub #SOMOSLIVRES, deu vazão a esse sentimento: milhares de e-mails foram enviados para os senadores solicitando a manutenção da lei atual.

Resultado

A #SOMOSLIVRES atingiu seu principal objetivo: a lei não foi modificada. A mobilização dos cidadãos foi tão intensa que o departamento de TI do Congresso chegou a bloquear as mensagens enviadas pelo disparador de emails. A campanha levantou o debate e aumentou o grau de conscientização do povo brasileiro em relação ao tamanho desse problema.

 

somoslivres_1

 

Números ON

  • 4,4 milhões de pessoas foram impactadas
  • 8 mil e-mails enviados para senadores
  • 11.420 comentários
  • 53.543 compartilhamentos

Números OFF

  • Mais de 60 veículos da imprensa nacional publicaram matérias sobre a campanha